quinta-feira, 30 de outubro de 2014

* "A Derrota dos Midianitas"

Vocês se lembram da historinha da semana passada, que falou sobre a escolha de Gideão?
Pois é, ele já estava certo de que havia sido escolhido para livrar o seu povo do sofrimento. Mas, para isso, ele precisava de um exército, não é mesmo? 
Deus falou para Gideão como deveria escolher os seus soldados, e ele fez exatamente com Deus lhe ordenou. Gideão convocou alguns homens para a batalha, e vieram 32 mil. Porém Deus achou que tinha muita gente, pois Ele não queria que depois eles dissessem que ganharam a batalha sozinhos.
Então, ordenou que Gideão mandasse voltar para casa os medrosos e tímidos, e 22 mil voltaram, restando   apenas 10 mil. Ainda assim, Deus achou que tinha muita gente, e ordenou que Gideão os levassem até o rio e observasse os que iriam beber água com a língua como cachorrinhos, separando-os para um lado. 
Os que se abaixassem de joelhos para beber água, deveriam ser colocados para o outro lado.
Gideão fez exatamente como Deus lhe ordenou, e os homens que lamberam a água levando-a com a mão até a boca, foram os escolhidos para lutar com Gideão. 
E sabem quantos  homens fizeram assim? 
Apenas 300. Isso mesmo, Gideão iria lutar contra três nações com apenas 300 homens, um número insignificante diante da multidão de inimigos que mais pareciam a areia da praia de tantos que eram. E mais, Deus mandou que Gideão desse como arma para aqueles homens lutarem apenas uma trombeta, um vaso de barro e tochas de fogo. 
Como se pode lutar contra um numeroso exército com trombetas e vasos de barro?
Gideão não fez perguntas, nem duvidou, apenas obedeceu.
Ele disse para os seus soldados: Fiquem atentos e, à noite, quando chegarmos ao local onde os
midianitas estão, quando eu tocar a trombeta vocês também tocam, quebrem os vasos e gritem:
Pelo Senhor e por Gideão! 
E assim eles fi zeram. Quando os inimigos ouviram o barulho de vasos
quebrando, das trombetas tocando e o fogo das tochas, eles se apavoraram e começaram a lutar
entre si, matando uns aos outros. E assim os soldados de Gideão nem chegaram a lutar.
Venceram a guerra usando armas esquisitas, mas não tiveram medo, pois obedeceram às ordens de Deus.











de
http://blogdaebi.blogspot.com.br


* Turminha da Fé em "Andando de Bicicleta"



* "O Chamado de Gideão"

Houve uma época em que o povo de Israel estava fazendo muitas coisas erradas, que
desagradavam a Deus, e por isso muitas coisas ruins começaram a acontecer com eles. Os midianitas,
inimigos do povo de Deus, os perseguiam e destruíam tudo o que eles plantavam, a ponto
de deixá-lo sem alimento algum. Com muito medo, o povo de Israel passou a viver escondido em
cavernas. Não saía nem para tirar o trigo da casca como costumava fazer nos lugares altos, pois
todas as vezes que tentavam, os midianitas roubavam tudo. Cansado daquela situação, o povo
clamou a Deus.
Mas havia um homem chamado Gideão que, revoltado com toda aquela situação resolveu ir
malhar o trigo em outro lugar . Um dia, ele estava limpando o trigo quando um Anjo lhe apareceu
e disse: “O Senhor é contigo, homem valente”. Deus viu coragem em Gideão, pois, enquanto todo
o povo estava com medo e escondido, ele trabalhava separando o seu trigo. O Anjo disse para
Gideão que Deus era com ele e que deveria usar a sua fé para livrar o povo do sofrimento, Gideão
imediatamente obedeceu à ordem de Deus.
Vocês imaginam quem era aquele Anjo, crianças? Aquele Anjo era o próprio Senhor Jesus.
Deus O enviou para falar com Gideão que ele era o Seu escolhido para vencer os midianitas. A família de Gideão era a mais pobre de Israel, e ele era o menor da sua casa. Mas Deus não se
importava com isso, pois estava buscando um homem obediente e Gideão era essa pessoa. Deus
disse a Gideão que era com ele e, por causa disso, ele derrotaria os inimigos, pois o mais importante não é ter força, nem ser importante, e sim, obedecer a Deus.


“ ... Importa antes obedecer a Deus . .. ” 
Atos 5.29










de
http://blogdaebi.blogspot.com.br


quarta-feira, 29 de outubro de 2014

* "Paulo prega às autoridades"


Paulo seguiu sua viagem missionária, e dessa vez foi para Jerusalém. Ao chegar à cidade,
ele foi correndo fazer o que mais gostava: falar de Jesus para as pessoas. Quando os religiosos
o viram, incentivaram o povo a agarrá-lo para o maltratarem. O guarda, quando viu o tumulto,
prendeu Paulo querendo saber quem ele era e o que fazia. Porém, a gritaria e a confusão eram
tanta, que ele, para proteger Paulo, resolveu mandá-lo para a fortaleza. Mesmo vendo a fúria da
multidão, Paulo pediu permissão para falar com o povo e contar a sua história, desde a época que
odiava os cristãos até o encontro com Jesus, e como agora era um homem totalmente transformado,
que servia ao Deus vivo que ressuscitou Jesus Cristo. Ah! Que atitude corajosa foi aquela
de Paulo. Ele estava sendo criticado, maltratado por causa da sua fé em Jesus, mas não perdeu a
oportunidade de confessar que Jesus era o seu Senhor. A multidão, mesmo depois de ouvi-lo, não
quis aceitar a verdade.
Paulo ficou preso na fortaleza, e durante a noite Jesus lhe falou para que tivesse coragem e
não fi casse com medo, pois precisava que ele falasse Dele também em Roma. Paulo ficou muito
feliz ao saber que tudo pelo qual estava passando era para que a Palavra de Deus fosse levada a
todas as pessoas. Enquanto esteve preso, alguns homens tramaram matá-lo, mas o comandante
ficou sabendo e imediatamente levou Paulo para outra cidade. Na cidade de Cesareia, Paulo deu seu testemunho diante do governador Félix, que viu que
Paulo não tinha culpa alguma, mas mesmo assim o manteve preso. O rei Agripa e a rainha Berenice
foram passar alguns dias em Cesareia, e o governador lhes falou a respeito de Paulo, que teve a
oportunidade de falar de Jesus para eles e para todas as autoridades da cidade. Todos ouviram
muito atentos e o rei comentou que Paulo quase o convenceu a se tornar cristão.


“Tudo posso Naquele que me fortalece”
Filipenses 4.13
















de
blogdaebi.blogspot.com.br



* "As Viagens de Paulo"


Na cidade de Listra aconteceu algo muito triste com Paulo:
 os judeus que vieram de outra cidade, convenceram a multidão a apedrejá-lo, 
e depois o arrastaram para fora da cidade pensando que estivesse morto.
Mas quando os discípulos se juntaram em volta dele, 
ele se levantou e entrou na cidade de novo. 
No dia seguinte, Paulo e Barnabé partiram para a cidade de Derbe.
 Ele era perseverante mesmo e nem se preocupava com a perseguição! 
Depois, eles viajaram de navio para várias cidades,
 incentivando e encorajando os cristãos que ali viviam.
 Eles ensinavam que era preciso se esforçar para entrar no reino de Deus.
 Em cada Igreja e cidade que passavam, eles escolhiam homens de fé para pregar o evangelho,
 oravam, jejuavam e os entregavam a Deus para que os protegesse.
Eles seguiam alegres e contentes pregando o evangelho,
 levantando obreiros e líderes para as novas Igrejas que iam sendo abertas.
 A cada dia, as Igrejas iam ficando mais fortes na fé
 e aumentava o número de convertidos. 
Paulo era um homem muito obediente a Deus, 
e onde o Espírito Santo o mandava ir,  ele imediatamente ia.
Muitas pessoas naquela cidade foram curadas e libertas, 
inclusive uma jovem escrava que adivinhava o futuro,
 cujos donos a usavam para ganhar dinheiro.
 A pobre jovem era dominada por espíritos malignos e Paulo, 
revoltado com a situação da jovem, a libertou. 
Crianças, os donos da escrava ficaram furiosos com Paulo e Silas, 
e os levaram até as autoridades. 
Eles foram chicoteados e lançados na prisão. 
Vocês pensam que eles ficaram tristes com o que aconteceu? 
Não! À meia-noite, eles começaram a cantar e a orar a Deus.
 Então, de repente, veio um terremoto
 e as correntes que estavam presas a Paulo e a Silas se romperam
 e as portas da cadeia se abriram.
 O carcereiro despertou do sono e, quando viu as celas abertas,
 ficou desesperado, com medo que os prisioneiros tivessem fugido. 
O seu desespero foi tão grande que ele pensou em tirar a própria vida. 
Porém, Paulo o impediu informando para ele que ninguém havia fugido.
 O carcereiro ficou tão feliz que se ajoelhou diante de Paulo e lhe perguntou:
 O que devo fazer para ser salvo? 
Paulo respondeu:
 “Crê no Senhor Jesus 
e serás salvo, 
tu e a tua casa.” 
Que maravilha! 
Sabem o que aconteceu?
 Ele e toda sua família ouviram a Palavra de Deus, 
aceitaram a Jesus como Salvador de suas vidas  e se batizaram.
 Eles levaram Paulo e Silas para a sua casa,
 comeram juntos e demonstraram grande alegria por terem crido em Deus.


Visuais

 






























Mais ideias geniais para visuais...








Muito simples e bem explicadinho
 assim é esta sugestão de um cenário para contar os lugares que Paulo passou depois que se converteu!




Para fazer este recurso são necessários os seguintes materiais:
 papelão,
 cola quente,
cartolina,
 papel cartão,
 palito de churrasco,
 fita grossa
 e cola bastão. 
O nosso livro de papelão terá 4 páginas. 
Se você conseguir folhas inteiras grandes,
 usará pelo menos 4.
Se for em pequenas será necessário pelo menos 8 folhas.
 Dobre as folhas de papelão (grande) ao meio, 
se for papelão pequeno,
 cole com cola quente uma lateral.
Cole os papelões,
 formando páginas duplas.
Pegue os cenários,
 pinte-os
 e cole os nomes das cidades.
Cole o cenário na segunda página do livro.
 A primeira será a capa, que não vai ser colada ainda.




 Na terceira página, faça a parte do chão e cole.
Corte tiras de cartolina e cole em volta fazendo o acabamento.
 Faça o mesmo processo com os outros cenários.
Cole a capa com a cor da cartolina do seu gosto e cole o título da história.
Com as imagens, pinte-as e corte-as. Cole o papel cartão.
No verso da imagem,
 pegue um palito de churrasco com a ponta para baixo. 
Deixe apenas um dedo sobrando na parte de baixo. 
Corte a sobra na parte de cima e cole com fita.
 Faça isso em todas as imagens. 
Fure com o próprio palito para encaixar a imagem no chão do cenário.





Lanchinho...


A lembrancinha...

Olha aí se não vale a pena...
Imagine-se criança e pense em indo a uma EBI onde haja uma educadora contando uma historia que realmente aconteceu
 usando um visual como este...
 O que você vai achar?
É assim que você precisa pensar quando souber o dia de sua aula,
 precisa imediatamente pensar,
 quero preparar algo para impactar minhas crianças, porque se eu fosse criança não ia querer pouca coisa!


E caso você não tenha tempo,
 habilidade e material para construir uma maquete bem linda e completa como esta... 
pelo menos o barquinho de lembrancinha com o versículo tente fazer...
Ok,Ok, vai que não dá...




de
http://blogdaebi.blogspot.com.br